Morhan Nacional:

No dia 29 de julho será realizado no município de Aquidauana, o mutirão de hanseníase e tuberculose no PSF Nova Aquidauana. Neste mutirão a equipe da saúde com apoio do prefeito Felipe Orro vai avaliar pessoas com sintomas de tuberculose e hanseníase, através de profissionais da secretaria em parceria com os alunos do 6º ano de medicina da UNIDERP, além disso, será realizado exame de escarro, raios-X de tórax, PPD e exame de linfa. Atualmente vem ocorrendo um aumento dos casos de tuberculose e hanseníase na região e a falta de informação à população é um fator agravante. A tuberculose é uma doença infecto – contagiosa transmitida através do ar e salivas. Os sintomas são tosse por mais de 03 semanas, febre ao entardecer, emagrecimento e dor no peito. O exame realizado para comprovar a doença consiste em raios-X de tórax, exame de escarro (duas amostras) colhido pela manhã e PPD. O tratamento é gratuito e tem duração de seis meses. A família do doente de tuberculose também deve ser avaliada, através de PPD, raios-X de tórax e exame clínico.A grande preocupação, segundo a Secretária de Saúde Viviane Nogueira são as pessoas que abandonam o tratamento, pois com a interrupção dos medicamentos a doença volta de maneira mais severa. “Não podemos esquecer da tuberculose extrapulmonar que ataca olhos, pele, meninges, osso, gânglios e rim”, confirmou Viviane Nogueira. De acordo com informações da enfermeira Andréia César de Oliveira Coordenadora dos Programas de Combate a Tuberculose e a Hanseníase a falta de tratamento pode provocar a disseminação da doença para outras partes do corpo. A hanseníase também não é muito diferente da tuberculose e a transmissão é realizada através do ar e saliva do paciente infectado. Existem 04 tipos de hanseníase: tuberculoíde e indeterminada são consideradas menos graves, pois apresenta o doente manchas hipocrômicas (brancas), com falta de sensibilidade, ausência de pêlos e perda da força muscular. Nos tipos dimorfa e virchoviana apresentam manchas avermelhadas, caroços no corpo, perda da força muscular, aumento do pavilhão auricular (orelhas), pele com descamações, dificuldade para enxergar e fortes dores nas articulações. O tratamento consiste em medicação para seis meses no caso de hanseníase tuberculóide e indeterminada e 12 meses no caso de hanseníase dimorfa e virchoviana. Além da medicação o paciente deve ser avaliado pelo fisioterapeuta que vai identificar futuras incapacidades no paciente. Pessoas com sintomas descritos acima devem procurar o CME (Posto da Duque) ou PSF da Nova Aquidauana para serem avaliados.
Compartilhe: