Morhan Nacional:

A incidência de hanseníase no Amazonas caiu para menos da metade em vinte anos, mas ainda está acima da média nacional. Em 1987, era de 7,42 casos para cada grupo de 10 mil habitantes. Em 2007, a média foi de 2,15 casos por 10 mil habitantes, acima da média nacional de cerca de dois casos para 10 mil habitantes.A hanseníase causa a perda de sensibilidade na pele e pode se expandir e atingir nervos. Sem a capacidade de sentir dores, ferimentos podem se agravar e levar à perda de dedos, mãos e pernas.Na Fundação Alfredo da Mata, em Manaus, pacientes recebem tratamento médico e acompanhamento de assistentes sociais. Os remédios são entregues todos dos meses, a dose controlada e os comprimidos para todos os dias.A partir do início do tratamento, o paciente com caso contagioso deixa de transmitir a doença. Por isto é importante o diagnóstico, inclusive de pessoas que não procuraram o atendimento médico.A busca ativa de novos casos tem ajudado a reduzir os casos no Amazonas, segundo a coordenadora de Doenças e Epidemiologia do Alfredo da Mata, Emília Pereira. A atenção dada à hanseníase em todo o sistema de saúde do estado também tem colaborado. Fonte: Portal Amazônia
Compartilhe: