Morhan Nacional:

Alunos do 6° ao 9° ano de escolas públicas dos bairros do Distrito Oeste de Natal estão participando do concurso "A hanseníase em seu bairro". A competição vai premiar os três melhores trabalhos nas áreas de música, desenho, redação ou poesia. As escolas podem se inscrever até hoje, dia 15, nas unidades básicas de saúde da Zona Oeste. O concurso é uma das ações de um projeto de combate à hanseníase apoiado pela ONG inglesa LRA em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde e o curso de Enfermagem da FARN. Segundo a enfermeira e coordenadora do projeto, Cléa Moreno, o aluno que ficar em primeiro lugar terá seu trabalho publicado na LRA Review, uma revista científica internacional. "Para conseguir levar o prêmio, o trabalho precisa realmente ser bom e ter conteúdo", ressalta Cléa. O regulamento prevê que cada escola deve enviar apenas um trabalho e este deve conter preferencialmente elementos de "pesquisa sobre a existência de manchas dormentes ou casos curados de hanseníase em familiares e vizinhos". Para Francisco Aristêu da Silva, vice-diretor da Escola Municipal Professor Veríssimo de Melo, a mobilização vai além do concurso. "Acho essa ação importantíssima, os professores estão se organizando e mobilizando os alunos para participarem não só da redação, mas também com peças sobre a Hanseníase", destaca. A premiação acontecerá dia 30 de setembro, quando será realizado um simpósio em comemoração ao dia nacional de combate à doença. O primeiro lugar ganhará um computador e uma bolsa de estudos para a faculdade; o segundo lugar levará uma televisão e o terceiro, uma bicicleta.  O concurso faz parte de uma série de ações realizadas para combater a doença, comumente conhecida como lepra. Foram realizados também cursos de atualização e clínica geral para agentes de saúde, médicos, enfermeiros e estudantes de Enfermagem, numa preparação para visitas a população da Zona Oeste, de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, localidade com maior incidência de casos na capital. Geralmente confundida com uma mancha de pele causada por micose, a hanseníase pode passar despercebida até pelo médico. O Governo Federal busca erradicar a doença no País, o que significa atingir um índice de um caso para cada 10 mil habitantes. Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), o Brasil é o segundo país do mundo em número de casos, perdendo apenas para a Índia. Fonte: Tribuna do Norte
Compartilhe: