Morhan Nacional:

O coordenador do MORHAN, Artur Custodio, apresentou ontem ao senador Tião Viana (PT-AC) o troféu que representa o prêmio recebido pela entidade durante a 61ª Assembléia Mundial da Saúde, promovida no dia 22 deste mês em Genebra pela Organização Mundial de Saúde (OMS), órgão da Organização das Nações Unidas (ONU). Segundo Artur Custodio, o senador Tião Viana faz parte da premiação internacional recebida pelo Movimento pela sua atuação em favor dos hansenianos de todo o país, além de ter sido o autor do projeto de lei que resultou na Medida Provisória, hoje lei 11.520, assinada pelo presidente Lula que concedeu uma pensão vitalícia de R$ 750,00 para os ex-hansenianos que foram isolados em colônias até o ano de 1986.“O senador Tião Viana faz parte, com louvor, desta premiação porque ele contribui para a construção coletiva de um movimento social em favor dos hansenianos de todo o país”, disse Artur Custódio, que esteve em Genebra para receber a premiação dada ao Morhan no contexto da Assembléia Mundial da Saúde.O prêmio, que consta de um troféu e da doação de US$ 40 mil para o Morhan, foi concedido pela Fundação japonesa Sasakawa Health durante o evento da UNU. O Morhan foi a primeira entidade brasileira e o primeiro movimento social do mundo a receber a premiação anual da Fundação Sasakawa, que só premiava pessoas ou entidades de outros perfis que não o do movimento social.O coordenador do MORHAN informou que mais de 300 portadores de hanseníase de ex-colônias de todo o país já estão sendo beneficiados com o que ele prefere denominar de “indenização parcelada”, que se constitui na pensão vitalícia prevista no projeto de lei do senador acreano. Segundo Custodio, cerca de oito mil pessoas já enviaram documentos para a Secretaria de Direitos Humanos, do Ministério do Meio Ambiente, reivindicando a indenização estabelecida em lei. Fonte: Site Página 20 - Acre
Compartilhe: