Morhan Nacional:

Milhares de ex-portadores de hanseníase de todo o país estão se mobilizando para que a Medida Provisória 373, que dispõe sobre o pagamento de pensão vitalícia a ex-portadores de hanseníase que foram levados compulsoriamente para hospitais-colônia até 1986, passe também no Senado.   A MP foi aprovada no último dia 10 pela Câmara, mas ainda depende de aprovação dos senadores para que entre em vigor. O Conselheiro Nacional de Saúde e coordenador do MORHAN Artur Custódio de Souza, estará nesta sexta-feira (20), às 9h30, no antigo hospital-colônia Vila João XIII (Avenida Nilton Belo, 1557 Ouro Verde), ao lado do diretor da secretária de Saúde do município, Teófilo Monteiro; das coordenadoras dos programas de Hanseníase do Estado, Léa Márcia da Costa, e do Município, Virgília Fuminan Navio, além do representante da Federação Brasileira da Indústria Farmacêutica, Jorge Dias. O objetivo é esclarecer e mobilizar os ex-pacientes que ainda vivem no hospital, como vem fazendo nas demais unidades, para, assim, garantir esse direito.   - O Brasil é o segundo país do mundo, atrás apenas do Japão, a reconhecer o direito do ex-paciente à indenização. Trinta aos depois de o mundo inteiro ter parado de isolar seus pacientes, o Brasil continuava com a prática. Queremos evitar que os ex-portadores de hanseníase sejam lesados por intermediários, por pessoas inescrupulosas, que poderão tentar se aproveitar do benefício, através de procurações fraudulentas, por exemplo. Também é intuito do MORHAN mobilizar essas pessoas para que façam valer os seus direitos e, assim, sejam indenizadas, uma antiga luta da entidade - afirma Artur Custódio de Souza, coordenador nacional do MORHAN. Por Claudia Silveira (Assessoria de Imprensa MORHAN)
Compartilhe: