Morhan Nacional:

A Secretaria de Saúde de Imperatriz (MA) começou a preparar uma grande campanha de combate à hanseníase, doença infecto-contagiosa causada por um micróbio chamado bacilo de Hansen, mas que tem cura desde que tratada em seu estágio inicial. Esse trabalho ainda não tem data definida para começar.O pessoal que participará da campanha - agentes de saúde, enfermeiros e médicos - esteve reunido na semana passada para definir os últimos detalhes da ação que faz parte de mais uma etapa da intensificação do combate à doença, a qual tem avançado nos últimos anos no segundo maior município do Maranhão.Levantamentos da Secretaria de Saúde do Município revelam que a maior incidência da hanseníase ocorre nos bairros da periferia, cuja falta de higiene e saneamento básico é quase inexistente o, que facilita a propagação da doença. Outro ponto que chamou a atenção dos profissionais da área de saúde é que as pessoas que moram em locais fechados estão mais expostas à contaminação.“A questão da alimentação também é levada em conta. Muitas vezes, a pessoa possui uma alimentação tão precária que favorece o seu contágio”, frisou Virginia Borel, uma das coordenadoras da campanha.INCIDÊNCIAUm dos bairros onde há registro de aumento da incidência da hanseníase é o Parque Sanharol. Apesar do aumento do número de casos, um dos pontos que anima a coordenação do programa de combate à hanseníase é o fato de o número de pacientes que abandonam o tratamento ter se reduzido.A coordenadora informou que ainda existem pessoas que abandonam o tratamento, embora haja campanha sistemática chamando a atenção para a importância do paciente em se submeter ao tratamento até o fim. Ela disse ainda que um dos fatores que dificultam o combate à enfermidade é o preconceito.O dermatologista Paulo Erivan, médico do programa de combate à hanseníase, fez questão de lembrar alguns dos principais sintomas da doença: manchas que coçam e posteriormente ficam adormecidas. “A principal orientação nossa é que a pessoa procure um posto de saúde logo ao perceber qualquer mancha no corpo”, alertou o dermatologista. Fonte: O Estado do Maranhão
Compartilhe: