Morhan Nacional:

Morhan discute estratégias de comunicação sobre hanseníase com Ministério da Saúde

EM BRASILIA

Morhan discute estratégias de comunicação sobre hanseníase com Ministério da Saúde

 

O Movimento de Reintegração das Pessoas Atingidas pela Hanseníase (Morhan) participou nesta terça-feira (10) da reunião de formação de um Grupo de Trabalho para discussão e elaboração do Plano de Comunicação e Mobilização Social para Hanseníase do Ministério da Saúde. Realizada em Brasília, a atividade foi convocada pela Coordenação Geral de Hanseníase e Doenças em Eliminação (CGHDE) e pelo Núcleo de Comunicação da Secretaria de Vigilância em Saúde (NUCOM/SVS/MS) e, além do Morhan, contou com a participação de outras ONGs, movimentos sociais e instituições relacionadas ao tema do enfrentamento à hanseníase.

 

Representaram a coordenação nacional do Morhan, Francisco Faustino e Artur Custódio, que também representou o Conselho Nacional de Saúde na reunião. Na ocasião, as integrantes do NUCON anunciaram o compromisso do Ministério da Saúde em produzir uma campanha de repercussão nacional, com o objetivo de enfrentar a atual situação do país em relação à incidência de hanseníase, tendo como eixos o diagnóstico precoce e o enfrentamento do estigma. A discussão sobre as estratégias da campanha foram o foco desta primeira reunião do GT.

 

O Morhan defendeu a necessidade de considerar, além da população, os profissionais de saúde como público prioritário das ações de educação e comunicação. A ênfase nos profissionais se deve à experiência do movimento com as inúmeras queixas de usuários do SUS sobre a falta de preparo dos serviços de saúde para lidar com o tema da hanseníase.

 

Custódio ressaltou a importância de articular estratégias localizadas de mobilização, pensadas para a situação de cada região, com uma campanha de grande impacto nacional, que paute o tema de forma ampla e inovadora. Ao apresentar peças de campanhas anteriores voltadas ao enfrentamento da doença, Faustino destacou o desafio de planejar uma linguagem que não reforce estereótipos associados à hanseníase, a fim de desconstruir conceitos equivocados e melhorar a qualidade da informação veiculada sobre a doença.

 

 

A discussão se estendeu durante todo o dia e teve como fruto uma sistematização de campanha que o Núcleo de Comunicação da SVS se comprometeu a encaminhar às agências de publicidade que atendem ao Ministério da Saúde. O Morhan seguirá integrando o GT-Comunicação e reivindicando investimento em estratégias de comunicação que enfrentem a desinformação e o preconceito em torno da hanseníase.

Compartilhe: