Morhan Nacional:

18? Congresso Internacional de Hanseníase em Bruxelas

Mais de mil delegados de 120 países participam de 16 a 19 de Setembro na Cidade de Bruxelas do 18? Congresso Internacional de Hanseníase que é sempre realizado de 5 em 5 anos. Dentre os participantes, os países da Índia, Brasil, China e Japão, são os países com maior número de participantes. Apresentações e debates vem ocorrendo ao longo do congresso, iniciativas como o teste rápido para a detecção de novos casos e propostas de tratamento de populações inteiras em áreas com maior ocorrência da doença vem sendo discutidos em todo o congresso, assim como a reabilitação e a preservação dos Direitos Humanos.

Avanços no controle da doença ainda acontecem de forma muito vagarosa, reconstruindo uma linha do tempo, podemos citar o descobrimento da cura na década de 40 e o descobrimento da multi-droga PQT na década de 70 como os principais acontecimentos da última década/ Em debate realizado nessa quarta feira dia 18, a comunidade acadêmica internacional, chega a conclusão que termos como “Lepra” e “Leprosos” devem ser banidos do vocabulário mundial, pois acarretam mais estigmas e preconceitos, recomendam ainda que se use “pessoas atingidas pela hanseníase”.

A 32 anos no Brasil, o Morhan já defende essa tese e conseguiu oficialmente que nenhuma publicação oficial seja impressa no Brasil com tais termos, tendo como exceção a bíblia por se tratar de um livro histórico. Participam do evento 3 voluntários da entidade Thiago Flores, Dr. Getúlio Ferreira e Alice Cruz. Paralelo ao evento, acontece na Etiópia o encontro Internacional da ONU Hanseníase e Direitos Humanos, participa desse evento o Coordenador Nacional Artur Custódio.

O fundador do Morhan Francisco Nunes, Bacurau, foi lembrado hoje como um grande idealizador da luta contra o preconceito e discriminação e promoção da saúde “Hanseníase também se cura com amor” era a frase que foi creditada a ele nessa tarde de quarta como forma de lembrar a sua memória. Outra brasileira que foi homenageada no evento foi Alice Tibiriça “Sem o governo se possível, com o governo se preciso e contra o governo se necessário” foi a frase de sua autoria que lembrou a sua luta em defesa dessa causa.  

Dentro das atividades do evento, a tarde de terça feira dia 17 foi marcada pelo anuncio oficial da LRI,   uma parceria entre a Holanda Leprosy Relief ( NLR ) , American Leprosy Missions (ALM) , Alemão Hanseníase e Tuberculose Relief Association ( GLRA ) e The Leprosy Mission Canada ( TLMC ).  Os sócios fundadores da LRI chegaram a acordo para apoiar pesquisas no campo da hanseníase. Eles se comprometeram a estabelecer um fundo comum para apoiar projetos de pesquisa e de estabelecer um mecanismo de acesso a novos financiamento.

A transmissão da hanseníase ainda continua com mais de 230 mil novos casos sendo detectados anualmente. Para enfrentar os desafios,  grandes estudos internacionais são necessários para orientar a implementação de intervenções eficazes , para interromper a transmissão da doença e promover a inclusão das pessoas atingidas pela hanseníase na sociedade. No início a LRI , esta empenhada em conjunto para fornecer acesso a pelo menos 6.000.000 € (seis milhões de euros) para financiamento da investigação de novos casos nos próximos 5 anos. O LRI será guiado por um Comitê

Gestor e todas as propostas de pesquisa serão avaliados e seguidos por um Comitê de Investigação Científica independente com um histórico de mais de 25 anos de experiência.

 

THIAGO FLORES

Coordenador do Morhan Minas Gerais

Membro Nacional da Comissão dos Filhos Separados

 

Bruxelas, Bélgica.

Compartilhe: