Morhan Nacional:

Em 28 de janeiro acontece o Dia Mundial de Luta Contra a Hanseníase, mas, em Jardim, as atividades educativas e informativas estão sendo realizadas desde quarta-feira, 10/01, com o objetivo de orientar a comunidade sobre a hanseníase e promover o diagnóstico precoce da doença. A Prefeitura, por meio da Gerência de Saúde, programou várias ações para alertar a comunidade sobre a doença, bem como formas de prevenção e tratamento. As primeiras comunidades beneficiadas com as palestras de sensibilização foram o distrito do Boqueirão, o Assentamento Guardinha e os moradores da 2ª Curva, na saída para Bela Vista. Segundo a enfermeira e coordenadora do Programa Municipal de Hanseníase, Carmen Saura Carneiro, a doença tem cura e existe tratamento gratuito em todas as unidades de saúde. “Queremos alertar a população sobre a importância do diagnóstico precoce da doença e conscientizar sobre a necessidade do tratamento”, explica Carmen. Ela informou também que, nesta terça-feira (16/01), estão agendadas palestras para os moradores da Cohab Aeroporto e Vila Angélica II, destacando que o importante é que cada pessoa que receber as informações passe para mais cinco outras, servindo como multiplicadora das orientações. “Durante as palestras, também verificamos se alguém tem manchas, feridas que não cicatrizam ou nódulos, e encaminhamos para a coleta em caso afirmativo”, finalizou. O gerente de Saúde, João Eugênio de Oliveira, disse que muitas pessoas desconhecem os sintomas da doença e acham que a hanseníase está superada. João Eugênio ressalta a importância da prevenção da doença. Ele informa que, quando descoberta precocemente, a hanseníase não deixa seqüelas. “No começo, a doença não é contagiosa. Por isso a importância da prevenção. Dessa forma ocorre a recuperação sem seqüelas para o paciente e impede a transmissão”, salienta. Ainda segundo ele, se descoberta tardiamente, a doença atinge a pele, os olhos e compromete os nervos. “A forma mais comum de contágio é pelas vias aéreas. Se a pessoa estiver infectada pode expelir a bactéria através de um espirro, por exemplo”, disse. Fonte: MS Notícias
Compartilhe: